Farmácia Agafarma. Sinta-se bem, sinta-se em casa

Destaques

Os maus hábitos e o envelhecimento precoce

Maus hábitos têm relação com o envelhecimento precoce, sabia? O excesso de cigarro, álcool e noites mal dormidas podem se refletir na saúde e na sua aparência, com olheiras, pele ressecada, rugas e dificuldade de cicatrização no caso de uma cirurgia. Segundo o cirurgião plástico Vitorio Maddarena Junior, o primeiro sinal de uma noite mal dormida aparece no rosto. Normalmente, ficam mais evidentes olheiras e bolsas palpebrais. “Se essa rotina se repete com alguma regularidade, os efeitos não costumam desaparecer com facilidade – nem quando a pessoa dorme além da conta para compensar”, explica.
Um estudo da universidade norte-americana Johns Hopkins mostra que os fumantes têm uma tendência quatro vezes maior de se sentirem cansados mesmo após terem dormido a noite inteira. Se, além de não dormir bem e fumar, a pessoa também costuma ingerir álcool regularmente, o inchaço poderá ser percebido não apenas nos olhos, mas no rosto todo.
O excesso de álcool desidrata o organismo e, com o tempo, ele priva a pele de nutrientes e vitaminas (principalmente a vitamina C) – acelerando o processo de envelhecimento. “Já com relação ao fumo, existe até uma expressão para descrever o conjunto de características faciais que incluem rugas, sulcos, falta de brilho e tonalidade acinzentada da pele: ‘rosto de fumante’. O monóxido de carbono presente na fumaça do cigarro atua na redução do fluxo sanguíneo, deixando a pele seca e descolorida”, afirma.
E não acaba por aí. Segundo o cirurgião, o cigarro faz com que manifestações de doenças autoimunes, como a psoríase e a dermatite atópica, ocorram com mais frequência. “Obviamente, isso acaba constrangendo em alguma medida, limitando o uso de saias, bermudas e braços à mostra. Até mesmo as estrias são mais visíveis em pacientes fumantes. Já quem sofre de rosácea e ingere álcool em grandes quantidades costuma ter crises mais frequentes da doença, desencadeando o surgimento de manchas avermelhadas na região central do rosto”, esclarece.
Rugas? Pois é, elas também aparecem mais rapidamente para quem não leva uma vida muito saudável. “Jovens fumantes, principalmente aquelas que também fazem uso de álcool e contraceptivos orais, costumam ter a aparência envelhecida antes de suas colegas que levam uma vida saudável. O fumo acelera o envelhecimento, prejudicando o suprimento de sangue que mantém o tônus da pele e fazendo com que a menina pareça mais velha”, ressalta. O quadro pode ficar ainda pior se a paciente estiver acostumada a virar noites em claro, dormindo menos do que o necessário.
A falta de sono, assim como o estresse, leva o corpo a produzir um hormônio chamado cortisol, que eleva os níveis de açúcar no sangue. “Além dos evidentes danos à saúde, principalmente ao coração, também acelera o processo de envelhecimento, comprometendo o colágeno responsável por uma pele firme e sem rugas”, alerta.
Quem precisar fazer uma cirurgia, inclusive odontológica, por exemplo, pode ter uma recuperação mais lenta e problemática por conta dos maus hábitos. “A nicotina causa o estreitamento dos vasos sanguíneos, limitando o fluxo de sangue rico em oxigênio para pequenos vasos no rosto e no corpo. Isso sinaliza que o tempo de cicatrização de um fumante é sempre maior do que o de um não-fumante”. Para quem não consegue parar de fumar de vez, o cirurgião sugere que o paciente corte o cigarro um mês antes e um mês depois do procedimento para evitar problemas relacionados à anestesia, trombose e embolias.
Durma bem, fique longe do cigarro, evite o álcool. É garantia de saúde, beleza e qualidade de vida. Fonte: www.universojatoba.com.br