Farmácia Agafarma. Sinta-se bem, sinta-se em casa

Destaques

Como cultivar uma horta em casa

Ter uma horta em casa é sinônimo de muitos benefícios. Além de fazer muito bem para a saúde consumir alimentos livres de agrotóxicos, também faz muito bem para o meio ambiente – que deixará de receber produtos químicos – e bem para o bolso, pois ter uma horta é significado de economia. Quem tem criança em casa também é uma forma de educação sustentável, além de permitir contato com a natureza de forma direta e real.

Mas muitas pessoas possuem dúvidas em como cultivar uma horta em casa, principalmente em locais com pouco espaço, como apartamentos. Por isso separamos dicas e informações para você criar a sua.

 

Onde plantar

Vasos: vasos são alternativas práticas que servem para quem mora em casa ou apartamento. Possui várias opções de tamanhos, formatos, materiais e cores.

Embalagens recicladas: uma saída sustentável e barata são as garrafas pet como latas de alimentos, potes de vidro e caixas de leite.

Floreiras: as floreiras são ótimas para pequenos espaços.

Caixas de madeira: espaçosas e baratas.

Horta vertical: ideal para quem mora em apartamento, esse modelo aproveita espaços nas paredes. A horta vertical pode ser plantada em vasos, embalagens recicladas, estruturas de madeira e sapateiras.

Como cultivar

Iluminação: a luz é um dos fatores mais importantes do cultivo. O local dentro de casa escolhido para cultivar a horta é muito importante: é necessário escolher um lugar que receba algumas horas de luz solar direta. Essa questão pode ajudar a escolher onde plantar, pois dependerá do lugar da casa em que o sol entra. Alguns tipos de plantas necessitam de mais luz solar que outras, que é o caso de hortaliças e leguminosas. Já as ervas e temperos não necessitam de tanta luz no dia. As hortaliças precisam de no mínimo cinco horas de luz do sol direta por dia. Elas não podem ficar na sombra ou na luz indireta. Além de bem iluminado, o espaço também deve ser bem arejado, e é importante ressaltar que iluminação artificial não serve. É necessário também cuidar a mudança da posição solar ao longo do ano, que pode variar. Se necessário deve-se mudar as plantas de local, para que fiquem sempre em local com boa iluminação.

Irrigação: a irrigação pode fazer toda a diferença no cultivo de uma planta. A recomendação é que se tenha cuidado com o excesso de água, que pode causar o apodrecimento das raízes. O ideal é sempre optar por vasos com furos nos fundos, mas o ideal é irrigar sem que escorra água embaixo. A água em excesso pode lavar o solo, levando os nutrientes embora, assim como pouca água pode matar a planta. A quantidade e a frequência das irrigações vai depender muito das espécies plantadas e do local da horta – hortas em vasos tendem a secar mais rápido que em canteiros, por exemplo. Hoje já existem vasos com sistema auto irrigável, mas é importante pesquisar qual melhor quantidade e frequência da irrigação para as plantas que escolher cultivar.

Preparação do solo: o solo da horta deve ser rico em nutrientes e matéria orgânica para que as hortaliças cresçam com saúde e qualidade. Hoje em dia já existem terras preparadas que podem ser compradas em lojas especializadas. Caso prefira fazer a preparação em casa, alguns especialistas indicam um composto de três partes: 1/3 de terra preta, 1/3 de mineral chamado vermiculita e 1/3 de matéria orgânica (que pode ser esterco de aves, húmus de minhoca ou outros compostos). Além disso, o solo não pode ser compactado e sim leve, para que as raízes possam fluir e se desenvolver por todo o espaço disponível.

Adubação: depois que as hortaliças estiverem plantadas e crescendo é necessário fazer adubação a cada 15 dias, para que as plantas fiquem mais bonitas, viçosas e bem desenvolvidas. A cada colheita o solo também deve ser adubado, antes de receber o plantio de um novo vegetal. Como adubo pode-se usar compostos orgânicos, esterco de galinha ou gado, húmus, sulfato de amônio ou adubos químicos. Quanto maior a variedade de adubos orgânicos utilizados, melhor para a saúde da planta e humana.

Colheita: o tempo de colheita varia de acordo com a hortaliça plantada e pode ser influenciado pela época do ano, pela qualidade do solo, nutrientes e irrigação, além de eventuais doenças ou pragas e cuidados do cultivo em geral. Muitos pacotes de sementes indicam na embalagem o tempo de colheita, mas isso não pode ser um fator limitante.  Vale ressaltar que a planta não precisa estar no seu desenvolvimento máximo para ser feita a colheita.

Controle de pragas: as hortas caseiras infelizmente não estão livres de pragas, mas o lado positivo é que como são hortas pequenas é mais fácil controlar e recuperar as plantas. A dica é evitar venenos industrializados e agrotóxicos pois pode prejudicar tanto a saúde das plantas como a saúde humana. Remover as folhas contaminadas é uma maneira fácil de contornar uma eventual praga. Caso não consiga resolver dessa maneira, deve-se pesquisar sobre as pragas que atingem a planta em questão e aplicar um inseticida natural.

 

Pronto, agora você pode montar tua horta. Na hora de escolher a melhor maneira de plantar sua horta, pense no espaço disponível, nas espécies que deseja cultivar e em qual modelo melhor se integra à decoração da sua casa. E sempre pesquise o que gostaria de plantar, pois cada planta tem suas necessidades e cuidados.